Quando falamos sobre o material da prótese de mama, o imprescindível é que o produto seja certificado pela Anvisa e que a paciente conheça a marca e a validade do implante.

É interessante se informar a respeito do produto que você está colocando em seu corpo:

Quando falamos sobre o material da prótese de mama, o imprescindível é que o produto seja certificado pela Anvisa e que a paciente conheça a marca e a validade do implante. Entretanto é interessante se informar a respeito do produto que você está colocando em seu corpo. Nesse caso, existem dois tipos de materiais usados na prótese mamária, mas apenas um deles é utilizado no Brasil. O primeiro, o implante de solução salina, bastante popular nos Estados Unidos, oferece malefícios à saúde da paciente e grandes riscos de vazamento do soro fisiológico que o compõe. Essa opção de implante, não realizada no Brasil, consiste na colocação da prótese vazia e seu preenchimento subsequente com solução salina, permitindo assim que o médico controle o tamanho da prótese no momento de sua colocação.

Entretanto, a opção utilizada de fato no Brasil é mais segura e moderna. Trata-se de um implante de gel de silicone coesivo. O conteúdo fica em estado semissólido e sua alta coesividade evita que o material vaze caso haja qualquer ruptura na membrana que o envolve. Essa membrana é de espessura fina, o que diminui os riscos de uma contratura capsular – que é uma reação de defesa do organismo ao encontrar um corpo estranho -, um enrijecimento do tecido que envolve a prótese – já que o organismo não vê opção para expelir o corpo estranho, ele o isola do restante do corpo. O gel de silicone coesivo possui espessura, densidade e textura muito parecidas com as da mama natural.

Um tipo diferente de revestimento da prótese normalmente só é indicado para mulheres que já sofreram contratura capsular de um implante. Tal revestimento é feito de poliuretano, que tem textura um pouco mais aveludada que o normal. Entretanto, seu conteúdo continua sendo o gel de silicone coesivo. Uma opção segura e que está sendo cada vez mais aperfeiçoada, reduzindo cada vez mais quaisquer riscos de contratura capsular.






Fatal error: Allowed memory size of 33554432 bytes exhausted (tried to allocate 5128560 bytes) in /home/paulopadovez/www/blog/wp-includes/wp-db.php on line 1942