mulher questionando em uma clínica médica sobre cirurgia

Uma das Perguntas Mais Frequentes aos Cirurgiões Plásticos:

“Será Que Esta Cirurgia é Mesmo Indicada Pra Mim?”

A autoimagem é uma percepção pessoal, raramente baseada em critérios objetivos, que temos de nós mesmos. Ela começa a ser formada na infância e sofre mudanças, positivas e negativas, no decorrer da vida. Tal formação depende de inúmeros fatores, entre eles, relacionamentos intra e interpessoais que são influenciados pelo contexto cultural em que se vive. A autoimagem interfere diretamente na qualidade de vida de um indivíduo: quanto mais estável e positiva, menores serão os conflitos internos enfrentados.

A cirurgia plástica é um instrumento utilizado por muitas pessoas que se encontram insatisfeitas com sua autoimagem corporal e facial. Por esse motivo, é preciso que o profissional esteja sempre atento a sinais de que o paciente busca de fato ajustes físicos e que estes não estão sendo usados para mascarar transtornos mais profundos de autoimagem e mentais. Se necessário, o cirurgião plástico, pode requisitar uma avaliação psicológica do paciente.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica é bastante clara a esse respeito. Ao consultar o site da instituição em busca de informações sobre qualquer procedimento cirúrgico realizado por profissionais da área é possível encontrar uma seção de perguntas frequentes e suas respostas, entre elas a seguinte: “É indicada para mim?”, para qual a resposta é “É um procedimento individualizado e você deve fazê-lo para si mesmo, não para satisfazer os desejos de alguém ou para tentar se adaptar a qualquer tipo de imagem ideal”.

A cirurgia plástica é um instrumento de harmonização corporal e deve ser usado para atenuar desconfortos físicos. Depositar uma esperança de que o procedimento resolverá problemas mais profundos, pode ser frustrante para o paciente. Em entrevista ao site da revista Exame, Leandro Ventura, cirurgião do Instituto Ivo Pitanguy, sugere que o paciente, ao se deparar com algo em si que queira alterar através de cirurgia plástica, pergunte a si mesmo até que ponto sua felicidade (ou ausência dela) depende desse detalhe e se sua autoimagem é coerente e condiz com a realidade. O cirurgião recomenda aos pacientes refletirem sobre tais respostas, entenderem-se melhor e se aceitarem mais. E finaliza dizendo: “Se após este processo de amadurecimento ainda houver espaço para reparos, harmonizações, embelezamentos responsáveis, conte conosco, cirurgiões plásticos”.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Posts Relacionados

AUMENTO DE GLÚTEO

Lipoenxertia no Glúteo – Conheça o Procedimento!

Os glúteos são parte importante do contorno corporal e interferem diretamente na forma como as mulheres enxergam seu corpo. Uma assimetria ou falta de volume nessa região pode afetar a autoestima do paciente e uma Leia mais…

Saúde

Cirurgia Plástica na Terceira Idade

A expectativa de vida do brasileiro aumentou nas últimas décadas, assim como a qualidade de vida. Atualmente, a terceira idade é vista como a “melhor idade” e os idosos têm buscado cada vez mais mudanças Leia mais…

PROCEDIMENTOS

Crises Conjugais e a Cirurgia Plástica

Uma Cirurgia Plástica Pode Salvar Meu Relacionamento? Saiba Por Que Não. Já falamos sobre a relação que a autoimagem tem com o desejo de realizar uma cirurgia plástica. Entretanto, é preciso levar em conta também Leia mais…

%d blogueiros gostam disto: